Eu, Wolverine

46

Wolverine é um personagem forte dentro da Marvel e hoje forte fora da Marvel também sendo conhecido pelo mundo todo graças a animação do começo dos anos de 1990, assim como o filme do ano 2000 (interpretado por Hugh Jackman). Mas até chegar nesse patamar de “conquista mundial”, o personagem já fazia muito sucesso no seu leito inicial, que foram os quadrinhos, com seu jeito misterioso, violento e que fugia do estereótipo do bom herói. O personagem já vinha se destacando dentro dos Novos X-Men, a segunda formação dos heróis marginalizados da Marvel lá no começo dos anos de 1970. Sua popularidade crescia junto aos fãs de quadrinhos e em 1982 Chris Claremont e Frank Miller juntaram as cabeças para produzirem a minissérie Wolverine onde o baixinho mais invocado da Marvel vai ao Japão para reencontrar um antigo amor. Claremont coloca o personagem em lutas ferozes e sangrentas, mas o que mais machuca o Carcaju aqui é o amor perdido de sua amada Mariko- vale lembrar que essa minissérie serviu de base para o segundo filme do personagem nos cinemas.

A trama faz com que Logan voe até Tóquio em busca de notícias de Mariko Yashido, já que suas cartas voltaram sem serem abertas e seus telefonemas foram ignorados. Chegando na Terra do Sol Nascente, ele a encontra casada e com sinais de espancamento. Sua amada fora “forçada” a casar com outro homem para cumprir uma dívida de honra por seu pai. Isso a principio deixa Wolverine furioso, mas logo em seguida ele resolve voltar para casa, no entanto, não é bem o que um plano escuso tem para ele, o fazendo ser drogado e servindo de marionete para o pai de Mariko, o Lorde Shingen. O chefão do clã quer usar Wolverine para acabar com um rival, mesmo sem o herói mutante saber. O que não está nos planos de Shingen é que Yukio, sua assassina particular, se apaixonasse pelo nanico e traçasse seu próprio caminho. Wolverine cai em desonra e se afoga na bebedeira e brigas, e após sem saber acabar com o desafeto de Shingen, Yukio resolve “ficar” com o Wolverine para ela. Isso provoca a ira de seu mestre que envia ninjas do Tentáculo para assassinar os dois.

Numa maré de rápidas reviravoltas, Wolverine resolve encarar seu algoz de frente, descobre a duplicidade de Yukio e parte para os “finalmentes” com o pai de sua amada. Essa minissérie fez subir ainda mais a popularidade do personagem dentro e fora dos gibis. Claremont estava com uma escrita afiada e dá outro nível de importância a frase mais conhecida do herói: “Sou o melhor no que faço, mas o que faço melhor nem sempre é agradável”. Isso define bem o personagem nesse período- e posteriormente também. Sua personalidade selvagem, suas garras e sua sede de sangue eram sempre conflitantes com seu novo status de herói. Frank Miller tinha relutado um pouco para fazer essa minissérie, mas logo tomou gosto pela coisa e seu traço flui muito bem, e apesar de estar com uma arte mais acadêmica aqui, se mostra tão forte quanto seu desenho mais conhecido. Boa parte dessa força vem sem dúvidas do arte-finalista Joe Rubinstein, que traçou linhas mais firmes no lápis de Miller.


No Brasil a editora Abril lançou a minissérie em formatinho em quatro partes com o título apenas de Wolverine nos anos de 1980. Em 2004 a Panini lançou a versão em capa cartonada com, o que pra mim, é a melhor capa editada por aqui com Wolverine arrastando uma pá de ninjas na arte de Miller com cores de Lynn Varley. Depois relançou em 2009 em capa dura com mais páginas contendo mais duas outras HQs fora da minissérie original. A Salvat lançou dentro da sua coleção em 2015 numa versão mais parecida com a de 2004 da Panini. O detalhe é que a Panini lançou com dois “Títulos”: Dívida de Honra (2004) e Eu, Wolverine (2009). A Salvat optou pelo segundo formato. Vale destacar a tradução de Jotapê Martins, que foi o principal tradutor de super-heróis de todos os tempos, onde ele consegue uma adaptação mais “fluida”, “gingada”, que faz jus ao personagem- nem todo mundo gosta desse tradutor, mas aqui faz um trabalho muito decente. No mercado é difícil de achar, a não ser com preços salgados- mesmo os da Salvat. Não há plano até aqui para o relançamento desse material.

Serviço:

Wolverine (Editora Abril) Minissérie em quatro partes, 1987- Preço da Época: Cz$ 12,00
Wolverine (Editora Abril) Versão encadernada, 1988- Preço da época: ?
Wolverine- Dívida de Sangue (Panini Comics)- Encadernado Capa Cartão, 2004- Preço: R$ 8,90
Eu, Wolverine (Panini Comics)- Encadernado Capa Dura, 2009- R$ 26,90
Eu, Wolverine (Salvat)- Encadernado Capa Dura vol. 4, 2015- R$ R$ 36,90

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here