Os Incríveis 2 (Review)

170

Seria muito fácil para Brad Bird se “aproveitar” da nova onda de filmes de super-heróis e usar como um chamariz para a sequencia de Os Incríveis. Acontece que lá em 2004 os filmes que hoje fazem tanto sucesso baseado em super-heróis ainda estava longe de ser o que é hoje e já naquela época Brad Bird alcançou o que hoje está sendo tão apreciado. Então o que poderia fazer de Os Incríveis 2 um filme diferenciado? O roteiro e a direção de Bird entende que muita coisa mudou, mas seus personagens continuam fieis à sua origem, ainda que se reinventem sem precisa seguir o que está sendo feito agora no cinema de super-heróis.

O segundo filme começa exatamente de onde o primeiro acaba e os super-heróis ainda estão proibidos de atuar livremente. Depois de uma ação que destrói uma parte da cidade, a Família Incrível acaba encrencada com o governo e tem o programa de proteção encerrada. O que parece ser uma situação desesperadora para Beto e Helena Pêra toma um revés quando um fã “dos bons tempos” resolve reverter a situação em relação à proibição dos heróis. Beto acredita que ele como Sr. Incrível será a solução, mas está nas mãos da Mulher-Elástica tirar a família Pêra da pindaíba e de quebra elevar o moral dos heróis.

Bird coloca uma inversão de papeis que funciona muito bem e está bem alinhada com os tempos atuais. Enquanto a Mulher-Elástica salva vidas e fica famosa fazendo as pazes com seu lado heroico, o Sr. Incrível precisa ficar em casa e cuidar de Flecha, Violeta e Zezé- que é algo que ele se esquivava deixando a tarefa para a esposa. O filme fala diretamente com aquele adulto que leva seus filhos para assistir e coloca em pauta relacionamento, casamento, responsabilidades e todos os laços que tornam um casal, uma família unida na hora de dividir tarefas, aceitar realidades e ceder para um bem comum.

Apesar de todos esses entrelaces, o humor está garantido no mesmo balanço em que o primeiro filme está. Outro ponto a observar é que o designer dos personagens está igual ao do filme de 14 anos atrás, dito isso, por conta de que a tecnologia evoluiu muito para que pudesse ocorrer alguma mudança, mas apenas as texturas foram atualizadas, e claro, cenários, cenas de ação mais bem realizadas- e tão eletrizantes quanto o filme original! Outro ponto forte é a trilha sonora de Michael Giacchino que está ainda melhor que no primeiro filme. Um compositor que vem ganhando destaque há alguns anos.

Os Incríveis 2 é aquele filme que não te decepciona. Foram 14 anos de espera, mas que valeram cada frame. E agora é aguardar que Bird escreva a terceira parte dessa vez mais rápido e que logo possamos ter um próximo filme para os próximos anos.

Os Incríveis 2 (Incredibles 2, 2018)
Direção: Brad Bird
Roteiro: Brad Bird
Elenco (original): Craig T. Nelson, Holly Hunter, Sarah Vowell, Huck Milner, Samuel L. Jackson. Bob Odenkirk, Catherine Keener
Duração: 118 min.
Estúdio: Disney/Pixar

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here