Quem tem medo do Pantera Negra?

163

Na iminência do lançamento de um novo blockbuster nos cinemas, principalmente do Marvel Studios, a internet fica em polvorosa. Trailers, clipes, confirmações de suspeitas dos fãs, primeiras impressões, vasto material de divulgação, tudo isso atingindo a audiência em diferentes níveis. No caso específico dessa produção e pelo caráter inovador que apresenta em alguns de seus conceitos, questionamentos foram levantados e comportamentos desagradáveis foram manifestados.

Casos de campanha de boicote por parte de internautas num esforço de prejudicar a nota de aceitação do filme em sites especializados nos leva a pensar em que ponto chegamos. Tudo visando exercitar a infrutífera rixa entre empresas concorrentes, a velha disputa Marvel versus DC, que reside e ganha força apenas na cabeça de alguns fãs. Como racionalizar a postura de um fã de Super-Heróis que se presta a isso? Elaborar um esforço em conjunto para prejudicar quem quer que seja. Não parece muito algo que um Super-Herói faria ou deixaria como exemplo, não é mesmo? Contraditório no mínimo. Ridículo com certeza.

Felizmente outra corrente de fãs declarados da DC se mobilizaram para financiar ingressos para que crianças menos afortunadas possam apreciar a primeira aventura cinematográfica do regente de Wakanda. Algo bem mais condizente com um verdadeiro fã de Super-Heróis, seja ele da Marvel ou da DC.

Mas a constatação de uma produção como esta, tanto devido ao seu destaque como em relevância, evoca bem mais do que apenas sentimentos infantis e mesquinhos por parte de alguns. Ter uma produção deste porte capitaneada por um elenco predominantemente de atores negros, a despeito do século em que nos encontramos, ainda gera comoção e um ineditismo que ressalta surpresa em algumas pessoas. Somado a isso temos a conceito de uma sociedade avançada e incalculavelmente rica oculta no coração da África, onde as mulheres desempenham um papel crucial e de proeminência, seja no âmbito da força como agentes de defesa e proteção, seja no campo do saber como especialistas de alto nível e amplo conhecimento. Ter personagens negros e mulheres assumindo tais papéis ainda provoca questionamentos e colocações indesejáveis nos dias de hoje.

Tudo isso confirma e revela a importância do Pantera Negra para o cinema, assim como o foi e continua sendo para os quadrinhos, levando o mérito de estampar a capa da consagrada revista TIME, honraria até então inédita para as produções da Marvel, e receber o cobiçado selo Fresh do Rotten Tomatoes, sem mencionar a surpreendente venda antecipada de ingressos.

Pantera Negra, estrelado por Chadwick Boseman e dirigido por Ryan Coogler, estreia nos cinemas nacionais dia 15 de Fevereiro. Só nos resta esperar por uma produção majestosa em diversos sentidos, divertida, mas também relevante. E fique ligado para resenha do filme aqui mesmo, no seu Função Nerd.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here