Denny O’Neil ícone do quadrinhos morre 81 anos

43

Dennis “Denny” O’Neil, o lendário escritor e editor de histórias em quadrinhos que ajudou a transformar Batman na versão que os fãs conhecem hoje, morreu aos 81 anos.

O lendário criador faleceu na noite de 11 de junho de causas naturais em sua casa em Nova York. Danny ficou conhecido por seu trabalho escrevendo para a DC no início dos anos 1960, particularmente em vários títulos do Batman, e posteriormente editando para a DC de 1986 a 2000.

BATMAN 244
Batman #244

Muitas vezes é creditado a ele a reintrodução da iteração temática mais sombria e adulta do Batman que ainda existe até hoje, reformulando o personagem após a versão animada e caricatural, popularizada nos anos 60 pelo retrato de Adam West na TV e no cinema. “As coisas precisam evoluir e mudar ou morrer”, disse ele sobre suas adaptações em uma entrevista de 2016. A interpretação de O’Neil sobre o personagem provou ser tão influente que seus tons góticos seriam adotados por Tim Burton no Batman 1989, filme para o qual O’Neil realmente escreveu a novelização. Esse livro foi relançado recentemente em uma edição de capa dura de luxo.

Ra’s al Ghul e Batman.

Nascido em 1939, o fascínio de O’Neil começou quando ele crescia em St. Louis, Missouri, onde seu pai comprava um novo quadrinho para ele toda semana após a missa de domingo. Ele disse que essa obras – junto com os seriados de rádio populares na época – eram fundamentais para seu trabalho mais tarde na vida. Depois de se formar na Universidade de St. Louis, O’Neil se candidatou a um emprego na Marvel, onde sua produção impressionou Stan Lee o suficiente para que ele fosse contratado como assistente editorial. Ele acabaria se encontrando na DC nos anos 70, escrevendo e editando para personagens como Batman, Mulher Maravilha, Superman e Lanterna Verde.

Auto-descrito “lutador pela igualdade racial”, as obras de O’Neil costumava abordar questões sociais que afetam grupos marginalizados em toda a América, temas que sempre abordou juntamente com o artista Neal Adams. Em uma das histórias lendárias do Lanterna Verde e Arqueiro Verde produzida pela dupla, o personagem-título encara a luta contra a desigualdade racial, quando um homem negro aponta a postura do Lanterna Verde e ele fica sem palavras. “Meu trabalho era aumentar a consciência neste país”, disse O’Neil.

lanternagibi

O ex-presidente e editor da DC Paul Levitz disse uma vez sobre O’Neil: “Seu trabalho em Lanterna Verde e Arqueiro Verde, em particular, trouxe um nível de consciência social aos quadrinhos de super-heróis que nunca existiam antes”.

O último trabalho publicado de O’Neil foi uma contribuição na HQ comemorativa dos 80 anos do Coringa, The Joker 80th Anniversary 100-Page Super Spectacular (O aniversário de 80 anos do Coringa, 100 páginas Super Espetaculares, em tradução), lançado apenas alguns dias atrás e ainda inédita no Brasil. Além de revitalizar personagens como Batman, Lanterna Verde e Arqueiro Verde, O’Neil também foi responsável por criar ou co-criar personagens clássicos do Batman, como Azrael, Ra’s al Ghul e Talia al Ghul. “Não consigo imaginar um emprego melhor”, disse O’Neil em 2016. “Eu tinha o melhor brinquedo que uma criança poderia brincar: Batman”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here